Páginas

quarta-feira, 28 de março de 2018

Com caracóis e figos lampos, não bebas água.

Trabalha e vencerás.

O jogo é calado

Barba não é documento.

Homem barbado, homem honrado.

Aquele que empresta, suas barbas meça.

Ser paciente e esperar, alivia muito pesar.

A macaco velho, não se ensina a fazer caretas

A doninha, mesmo que se banhe no riacho, cheira sempre a doninha.

A dezanove de março, e o cuco sem vir, ou ele é morto ou está para vir.

A cordeiro estranho, não recebas em teu rebanho.

A bicho ruim, não há mal que lhe chegue.

Quem joga, não guarda cabras.

Mais vale carinho de mãe que leite de ama.

Ama gorda, pouco leite.

A amizade firme, sempre portas abertas.

Barba bem ensaboada está meio rapada.

Casa com duas portas é má de guardar.

A sorte bate uma vez à porta de cada pessoa.

A vingança é um prato que se come frio.

À laranja e ao fidalgo, o que quiser; ao limão e ao vilão, o que tiver.

A gente conta o milagre, mas não diz o nome do santo.

Gota a gota, o mar se esgota.

A dor conta os segundos, a felicidade esquece as horas.

Maio que seja de gota e não de mosca.